sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Eu vi o cu do gringo

Tinha resolvido que ia parar de contar história de gente maluca por aqui; podia parecer que eu vivo num manicômio ou coisa assim. Acontece que essa eu não resisti. Tem um monte de figura por aí, mas esse cara aloprou. Ele é um americano (acho) que vive no boteco aqui do lado de casa. Tá sempre de bermudão, colete e boné de baseball. A idade não saberia precisar: alguma coisa entre quarenta e cento e vinte anos. Tava de bobeira perto da banca de jornal quando me vem o doido.

_ E aí, cara, tudo bem?
_ Tudo, tudo bem e você?
_ Tranquilo. Sabe o que é? É que a gente tá sempre se encontrando por aí e nunca se fala. Qual é o seu nome?
_ Carlos. E o seu?
_ Andrew (?). Mas, o que que houve contigo aí, cara? - falou apontando pra minha cadeira de rodas - Sempre tive vontade de perguntar.
_ Ah, isso foi uma inflamação na medula e tal.
_ Sei... Cara, eu também ando passando por uns apertos aí.
_ É?
_ Sabe aquele cara que caiu um vergalhão na cabeça dele?
_ Vergalhão?
_ É. Passou no jornal e tudo
_ Ah, tá. O que que tem?
_ Então, fiquei na mesma enfermaria que ele. Tive um pico de pressão - não lembro quanto ele falou que tava, mas era alta pra cacete - e fui, sozinho, pro Miguel Couto. Peguei um táxi e fui sozinho pro Miguel Couto.
_ É mesmo?
_ É, pode acreditar. O médico disse que nós é dois cagão. De sorte, entende?
_ Entendo. Sortudos, né?
_ É, dois cagão. Outro dia tava lá também. Fui operar. - enquanto falava ia procurando algum arquivo no celular - Você não é de impressionar não, é?
_ Não. - só agora percebi que devia ter respondido que sim, eu sou de me impressionar sim.
_ Achei! Daqui a pouco eu te mostro. Eu liguei pro meu irmão e disse pra ele assim: "tô indo operar". Ele ficou nervoso pra cacete, mas eu disse: "não esquenta não que tá tudo certo". É que eu tava com uma ferida que ia do cu até o saco. E fui lá pra operar.
_ Ãh, sei...
_ Então, olha aqui.

Eu sei que não devia ter olhado, que só podia ser merda isso; mas eu olhei, tá? Olhei e me arrependi. Acho que nunca mais vou esquecer a imagem. Não tava muito nítida (graças a Deus), mas a foto mostrava a área em questão momentos antes da tal cirurgia. Close do inferno. Só que o cara não aparentou desconforto nenhum com a situação. Pelo contrário; parecia até meio orgulhoso do fato. E era um tal de "meu cu isso", "meu cu aquilo"; sem o menor constrangimento. Vai ver não ensinaram pro Andy nenhum sinônimo mais apropriado em português. Tudo isso balançando aquele celular como que rebolando pra todo mundo. Arrumei uma desculpa e fui embora antes que ele resolvesse mostrar mais coisa. Não me pergunte por que, mas fiquei com nojo de apertar a mão do cara na hora de ir. Então, é isso. E faz o seguinte: se você não tiver nada pra fazer e quiser dar uma sacada no cu do gringo, é só avisar que eu apresento o cara. Acho que ele vai ficar feliz com mais alguém dando aquela espiadinha nele.

6 comentários:

  1. KKKKKKK Que situação amigo , e o gringo não teve vergonha de mostrar kkk .
    Agora uma duvida que não me deixa calar :Como foi que ele arrumou essa ferida no Cu ?????????? Estranho esse gringo é gringa kkk

    ResponderExcluir
  2. Amiguinha, nem tive coragem de perguntar. Vai que o gringo responde...

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Garaio véio... vc e os seus malucos!!!
    (Me mijando de rir)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juro que é verdade. Esses caras existem mesmo, é mole?

      Excluir